Centro de triagem

História do PAC

PAC: Prático, Acessível e Confiável

Os consumidores necessitam de alternativas econômicas, simples e seguras. No setor de encomendas, este serviço já existe, e foi criado pelos Correios em 2002. Desde então, todos os brasileiros podem contar com a Encomenda PAC para enviar mercadorias.

Os Correios, atentos às exigências do mercado e buscando expandir seu portfólio, lançaram em 20 de junho de 2002, o Serviço de Encomenda Econômica, conhecido como PAC.

Inicialmente, formatado para atender sua carteira de clientes com contrato, que procurava enviar suas encomendas, com até 30 kg, de forma segura e econômica, nas Regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste, o PAC se transformou em uma solução de qualidade também para as pessoas físicas. O prazo de entrega varia de acordo com os CEPs de origem e de destino, sendo um pouco maior do que o prazo das encomendas expressas.

O serviço de encomendas econômicas conquistou rapidamente o público-alvo devido à regularidade e confiabilidade na entrega, fechou o ano de 2002 com 450 contratos e 70 mil objetos captados.

Em 2003, foram realizados 1.358 contratos e captados 1,7 milhões de encomendas. Sucesso em pouco mais de 6 meses de operação.

A abrangência do PAC deixou de ser restrita a partir de 1º de junho de 2005 e alcançou cobertura nacional, obtendo 3,8 milhões de objetos postados, um aumento de 8,57%.

As encomendas PAC foram reformuladas em 2006. Consistiu no ajuste das tabelas de prazos e na adequação dos volumes, instituindo o fracionamento por quilo, o que antes era feito por faixas de pesos, a cada 5 kg; A entrega agrupada, que hoje permite aos clientes com contrato o limite de até 600 kg para remessa agrupada por nota fiscal em âmbito nacional; E a precificação por peso cúbico, que leva em consideração o volume do objeto. A reformulação gerou resultados, como o aumento do número de objetos distribuídos, que naquele ano, atingiu a marca de 7,8 milhões.

A partir de julho de 2007, a atuação da Encomenda PAC foi ampliada, contemplando o mercado varejista. A abertura do serviço para o segmento, fez com que, somente no segundo semestre daquele ano, fossem postados e distribuídos quase 9 milhões de encomendas. Ainda em 2007, o serviço adicional de Logística Reversa, incorpora comodidade e facilidade nos processos de pós-venda, auxiliando na devolução e trocas de mercadorias.

Em 2008, o PAC foi um dos grandes destaques entre os serviços dos Correios. Obteve o crescimento de aproximadamente 34% de receita em relação ao ano anterior e substituiu a Encomenda Normal, extinta naquele mesmo ano.

Desde sua criação, o PAC gerou uma receita de R$ 2,6 bilhões, sendo R$ 586 milhões somente em 2011, o que posiciona o serviço como líder do segmento no Brasil, ocupando o 4º lugar no ranking comercial dos Correios, dentro de uma gama de 50 produtos e serviços. O serviço PAC vem mantendo um ritmo de crescimento em torno de 20% ao ano, impulsionado pelo crescimento da economia brasileira e pela conquista de novos clientes.

Em 2012 ao completar 10 anos em operação, o PAC continua uma excelente alternativa para encomenda nacional. Pertencente à linha econômica, se mantém como preferência em um mercado altamente competitivo. Para enviar encomendas com baixo custo e confiança de prazo, o PAC é a melhor opção existente no mercado.

Verifique a cronologia do serviço de encomendas econômicas – PAC:

 

2002 
Lançamento, em 20 de junho, do Serviço de Encomenda Econômica dos CorreiosPAC, tendo como público-alvo o mercado corporativo, entregando remessas de até 30 kg nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste.

2003
O serviço distribuiu 1,7 milhões de encomendas, e efetivou 1.358 contratos.

2005
A partir de junho, o PAC passou a ter cobertura nacional, com isto movimentou 3,8 milhões de objetos no ano, um crescimento de mais de 8% do tráfego em relação a 2004.

2006
Com a reformulação neste ano, o serviço distribuiu 7,8 milhões de encomendas.

2007
O PAC foi aberto ao mercado varejista, em julho, chegando a movimentar 8,9 milhões de encomendas, somente no segundo semestre. Significa crescimento de 14% da receita do serviço no ano de 2007. Destaque, também, para a Logística Reversa, ferramenta de pós-venda, que atua nos processos de remessa em devolução de mercadorias, se tornando um diferencial para as empresas.

2008
As encomendas PAC obtiveram aproximadamente o crescimento de 34% da receita em relação ao ano anterior.

2010
As encomendas PAC alcançaram cerca 27 milhões de objetos distribuídos.

2012
O PAC completa 10 anos e continua uma excelente alternativa para encomenda nacional.

O que é proibido enviar pelos Correios?

Quem nunca precisou do trabalho dos Correios para enviar ou receber algum tipo de encomenda? Uma carta, roupas, celulares ou outro tipo de produto comprado no interior ou até mesmo no exterior? Quase todo tipo de produto pode ser enviado pela empresa dos Correios para todo o território nacional. Quase.

Existem certos produtos que não podem ser postados, de diversos tipos e grupos. Não só isso, mas são vários os motivos que impedem que estes produtos sejam postados e transportados. Alguns produtos que não podem ser postados, por exemplo, são: animais vivos, alguns tipos específicos de comidas e bebidas, objetos explosivos ou corrosivos.

Estes objetos, quando postados estão sujeitos a verificação do conteúdo que há dentro. Não só isso, mas a verificação das dimensões e peso, dentre outras especificações. Isso faz necessário um maior cuidado sobre como e onde irá se enviar e o quê se irá enviar. Pessoas desavisadas podem acabar enviando algum objeto com restrição e tendo maiores problemas.

Estes produtos são proibidos para serem enviados por diversos motivos. Desde motivos sanitários a motivos de Segurança Nacional, por exemplo.

Lista com objetos que possuem restrição

Antes de enviar algum objeto diferente dos usuais, é preciso verificar se é possível enviá-lo e se isso os apresentará contratempos. Isso é preciso para que se evite certas dores de cabeça como problemas na entrega, cancelamento do envio ou até situações mais graves, de acordo com o produto enviado.

Aqui está a lista com a maior parte de objetos proibidos pelo regimento dos Correios:

  • Animais vivos: quaisquer tipos de animais vivos são terminantemente proibidos de serem enviados pelos Correios. Porém existem três exceções, que são abelhas, sanguessugas e bichos da seda. Nestes casos é preciso que a pessoa que os envie apresente certificado zoosanitário.
  • Armas: são proibidas para envio, sejam elas novas, obsoletas ou até mesmo as que possuem como finalidade a exposição ou colecionamento. Além destas, as de simulacros para jogos, por exemplo, também estão proibidos. Munições e armas brancas como espadas e facas.
  • Lunetas, binóculos, e miras de armas;
  • Equipamentos destinados a recarga ou produção de munição;
  • Diversos tipos de produtos químicos orgânicos;
  • Drogas ilícitas como cocaína, ópio e todo tipo de substância de uso proibido;
  • Dinheiro em espécie ou moeda;
  • Objetos que não possuam correto endereço, ou que possuam palavras ou frases difamatórias ou ofensivas;
  • Substâncias que possuam odores fortes e ruins, materiais e produtos radioativos, substâncias corrosivas. No geral, substâncias desse cunho que possam ser consideradas perigosas ou que possam danificar quaisquer outros objetos;
  • Quaisquer tipos de plantas vivas;
  • Animais mortos (ver exceções), cinzas de animais mortos e também seus ossos;
  • Tipos de materiais biológicos que ofereçam risco, salvo os que forem postados por uma pessoa específica que tenha a permissão necessária.
  • Quaisquer objetos que não estejam em acordo com tamanhos, peso, formato de endereço e outras especificações com as normas regimentais do Brasil;
  • Objetos que estejam com a sua circulação proibida por atos de autoridades competentes;
  • Objetos que firam as leis de Segurança Nacional;
  • Cigarros e seus semelhantes em desacordo com as leis e que possuam a finalidade de serem comercializados.

Para obter maiores informações quanto ao tipo, peso, tamanho e forma pela qual objetos podem ser postados é possível comparecer a uma agência dos Correios para sanar os questionamentos.

Outra opção para buscar informações quanto a outros produtos que não estejam mencionados nesta lista é preciso ler a lista completa, disponível no site dos Correios.