Segundo um comunicado fixado na unidade de Santa Rosa, o último dia de funcionamento será nesta sexta-feira

Rio vai perder 21 agências dos Correios até o fim de 2017

Duas serão fechadas em Niterói e em SG uma já encerrou suas atividades. Empresa alega readequação no atendimento

Residentes do estado do Rio poderão encontrar mais dificuldades ao enviar e receber correspondências. Até o final de 2017, 21 agências dos Correios terão suas atividades encerradas, sendo duas destas localizadas em Niterói e uma em São Gonçalo. No município niteroiense, as unidades de Santa Rosa e do Mocanguê foram as selecionadas para o processo. Já a filial de Neves, na cidade vizinha, foi fechada no último 14 de agosto.

De acordo com informações da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos, a agência da Ilha do Mocanguê fará seu último atendimento ao público em 29 de setembro deste ano. As ações fazem parte de um projeto de fusão de agências, tomadas com o intuito de reverter o cenário financeiro da empresa. Ainda segundo os Correios, o processo está ocorrendo gradualmente, para minimizar os impactos da decisão aos clientes. Por todo o Brasil, serão 250 unidades escolhidas, identificadas em municípios acima de 50 mil habitantes.

Húngaro é preso no Rio por aplicar golpes em agências dos Correios

Húngaro é preso no Rio por aplicar golpes em agências dos Correios

O grupo fazia uma compra, recebia a mercadoria pelos correios e ainda dava um jeito de receber o dinheiro dessa compra. Segundo a polícia, Istvan Farkas seria o líder da quadrilha.

A Polícia Federal descobriu um golpe que a quadrilha de um estelionatário húngaro aplicava no Rio de Janeiro. O grupo fazia uma compra, recebia a mercadoria pelos correios e ainda dava um jeito de receber o dinheiro dessa compra.

Imagens das câmeras de segurança de uma agência dos correios no Tanque, em Jacarepaguá, na Zona Oeste, gravadas em junho, mostram o húngaro Istvan Farkas. Ele se passou por brasileiro e usou um documento de identidade falso para conseguir sacar o crédito de vales postais.

Só no dia em que essas imagens foram gravadas, Istvan conseguiu mais de R$ 12 mil. O Húngaro está no Brasil há 22 anos e foi preso nesta quarta (16), em casa, na Praça Seca. Ele ainda tentou se esconder em um fundo falso na parede.

A Polícia Federal começou a investigar as fraudes em maio deste ano, depois da denúncia feita pelos Correios. Os agentes acreditam que pelo menos seis pessoas façam parte da quadrilha, da qual Istvan é apontado como o chefe.

Além dele, Cleberson Pereira de Souza e Edilamar Vencêslau de Souza foram presos em flagrante no dia 20 de junho. O vídeo, feito por uma câmera de segurança da agência dos correios do Recreio, mostra os dois – que são irmãos – esperando o atendimento. Edilamar saca R$ 4 quatro mil. Enquanto esperava para sacar mais R$ 3 mil, ela foi surpreendida pelos policiais.

Edilamar responde em liberdade, porque não tem antecedentes criminais. Cleberson e Itsvan estão presos. Os três vão responder por estelionato e associação criminosa. A polícia procura agora outros envolvidos nos crimes.

Os Correios disseram que trabalham em constante parceria com todos os órgãos de segurança pública, em especial com a Polícia Federal, e que sempre que existe um comportamento suspeito, os investigadores são avisados.