Imagens mostram saque a caminhão dos Correios em favela do RJ

PM disse que trocou tiros com os bandidos para tentar recuperar a carga. Motorista do caminhão roubado foi liberado pelos bandidos e passa bem.

Um novo caso de violência no Rio de Janeiro. Bandidos roubaram um caminhão dos Correios na zona norte da cidade e logo depois, a carga foi saqueada.

Centenas de caixas ficaram espalhadas por uma rua do Morro São João, na zona norte do Rio. Uma montanha de encomendas.

O flagrante foi feito pelo repórter cinematográfico Francisco de Assis, no Globocop, e mostra um homem jogando as caixas em um dos becos da favela. Um rapaz sem sem camisa abre os pacotes e parece selecionar o que está dentro de cada embalagem. Logo chegam outros e um bandido armado com um fuzil dá cobertura.

A carga estava em um caminhão de Sedex estacionado em um dos acessos e roubado ao sair de um dos centros de distribuição dos Correios, distante oito quilômetros da favela. Em poucos minutos, várias pessoas saqueavam as encomendas.

Uma mulher com uma criança pequena no colo passava na hora, quando de repente, pelo menos, outras 10 saqueavam a carga, na maior correria.

A Polícia Militar disse que trocou tiros com bandidos no morro para tentar recuperar a carga. Dois carros roubados foram apreendidos, mas até o fim da manhã, o caminhão não tinha sido retirado do morro. A favela tem uma Unidade de Polícia Pacificadora desde 2011.

De acordo com os últimos dados do Instituto de Segurança Pública do Estado do Rio, o crime aumentou mais de 40% em junho em comparação com o mesmo mês do ano passado, mas a federação que reúne cinco sindicatos do estado diz que esse tipo de roubo caiu 66% desde que os militares das Forças Armadas reforçaram a segurança no Rio, há uma semana.

O prejuízo causado pelo roubo de cargas em todo o país, entre 2011 e o ano passado, é de R$ 6 bilhões, como revela um estudo da Federação das Indústrias do Estado do Rio. Os Correios já investiram quase R$ 20 milhões em segurança com escolta armada e rastreadores de carga, medidas insuficientes, segundo a empresa. Os roubos a caminhões dos Correios aumentaram 117% nos últimos anos.

Na quinta-feira (3) foram registrados 11 casos de roubos de carga no Rio e nesta sexta-feira, até às 10h, já tinham sido três casos, incluindo o caminhão levado para o Morro São João.

O motorista do caminhão roubado foi liberado pelos bandidos e passa bem. A Unidade de Polícia Pacificadora do Morro São João informa que policiais foram atacados por criminosos em vários pontos da comunidade durante a operação para recuperar a carga.

Dois carros usados pelos bandidos foram recuperados, mas até agora ninguém foi preso.

Fonte

Pena ara quem rouba correios

MPF na 2ª Região quer evitar pena menor para roubo aos Correios no Rio

Em parecer ao Tribunal Regional Federal da 2a Região (TRF2), o Ministério Público Federal (MPF) se opôs ao recurso de Luis Carlos Bezerra da Silva pela revisão de sua condenação a dez anos e meio de prisão e multa de R$ 15,4 mil por roubar encomendas postais após ameaçar com arma de fogo o motorista de uma Kombi dos Correios em Jacarepaguá, no Rio de Janeiro. A sentença da 10ª Vara Federal Criminal do Rio se refere aos crimes de roubo majorado, receptação qualificada, associação criminosa e porte ilegal de arma de fogo cometidos por ele e dois cúmplices não identificados em fevereiro.

Quatro causas de aumento de pena foram destacadas pelo juiz de primeira instância na sentença: emprego de arma, concurso de três agentes, assalto a serviço de transporte de valores e manutenção da vítima como refém. Na manifestação ao TRF2, o procurador regional da República Paulo Roberto Bérenger narrou que o réu foi preso em flagrante quando tentava fugir em direção à mata da serra do Grajaú.

“Não há que se falar em tentativa de roubo, mas em roubo consumado, pois, apesar de o réu não ter conseguido fugir, já tinha subtraído as mercadorias dos Correios, mediante grave ameaça, invertendo a posse da coisa”, afirmou o procurador regional. “Portanto, o crime já tinha se consumado no momento em que as mercadorias foram retiradas do alcance da vítima, passando para o poder do réu, mesmo que por breve período.”
Silva também foi acusado e condenado por receptação, tendo em vista que o veículo Fiat Siena que usou em sua ação criminosa era produto de roubo e ele tinha pleno conhecimento. Para o MPF na 2ª Região, as circunstâncias relacionadas à prática dos crimes tornam adequada a fixação da pena acima do mínimo legal previsto para cada crime.
Processo nº 20175101017122-6.

Assessoria de Comunicação
Procuradoria Regional da República na 2ª Região (RJ/ES) | Procuradoria Regional Eleitoral/RJ
Tel.: (21) 3554-9199
Twitter: @mpf_prr2